sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Serrinha do Alambari – Itatiaia - RJ

postagem do blog: http://www.turislogia.com.br

partida
Resumo da Viagem:
Partimos de Teresópolis com destino ao Camping Clube da Serrinha – RJ. Após atingir a Via Dutra, saímos na direção de Penedo e daí, em direção a Visconde de Mauá. Após 5 kms, sair a esquerda com destino a Serrinha. Logo após passar o portal, inicia a estrada de terra de aproximadamente 6kms, que leva até ao camping. Para saber mais detalhes do camping e da estrada de acesso, veja o post especifico sobre este assunto. Clique aqui.
Este camping tem características únicas, que merecem novas visitas a qualquer tempo.
Nossa viagem previa muitas trilhas e cachoeiras para visitação. E assim foi.
separador
acesso Portal
Rodamos os 260 kms entre Teresópolis e Penedo sempre em estradas boas, sem qualquer dificuldade a considerar. Já os últimos 6 kms de terra até o camping, embaixo de chuva leve, foram cansativos e bem lentos.
Praça01 Praça02
Serrinha é um lugarejo com poucos recursos, mas com uma incrível riqueza natural. Se resume a uma pracinha com igreja, escola, biblioteca, bar e pizzaria e algumas casas. As propriedades rurais e suas belezas são o ponto forte. É considerada Área de Proteção Ambiental Municipal desde 1991.
Portaria instalados
Chegamos ao camping e fomos recebidos pelo guarda camping Silvinho, que nos acomodou rapidamente num grande platô, em frente ao pavilhão principal, com todos os recursos necessários. A previsão apontava para melhoria gradual do tempo. Iniciamos então a programação de nossas caminhadas.
separador
No dia seguinte decidimos explorar as trilhas no interior do camping, que margeam o Rio Santo Antônio e o Rio Alambari. A amplitude dos espaços e o cuidado dedicado aos atrativos natuais é ponto a se destacar.
placas
trilhas01 trilhas03
trilhas02 trilhas04
trilhas05 trilhas06
Na ordem, trilha, poço dourado, poço das esmeraldas e confluência dos rios. Muita água, muito verde, pássaros, alguns macacos e amplidão. Os espaços são sempre muito generosos.
alameda
A seguir um pequeno filme com o ambiente das trilhas, rios e cachoeiras.
O almoço no restaurante do camping também nos surpreendeu. Um self service completo, com muitas saladas + carne, ave e peixe. Ao preço de (hoje) R$ 26,50 o quilo. O cuidado do Sr Ney e da Geni também fazem a diferença. A cerveja na temperatura ideal completou o quadro.
restaurante cerveja
De noite hora de estréia do novo fogão da Nautika. Friozinho, vinho e calzone ao gosto.
Noite calzone
separador
Noite super tranquila e amanhecer cheio de visitantes inesperados e muita vida. Inúmeros pássaros, cada um dentro de seu espaço de tempo, povoaram nossa estadia.
galo galinha
jacu sapo
Este dia foi reservado para as trilhas externas. Objetivos eram os Poço do Céu e o Poço do Dinossauro. Depois visita ao Trutário e a Pedra Sonora. Guiados pelo Gustavo, guia treinado em condução ambiental, seguimos de carro até a base das vias. De lá, seguimos por trilha leve, que aos poucos se transformou em média, com bons declives, que serão aclives na volta. Ainda muito molhada, exigou bastante cuidado. Nosso primeiro atrativo foi o Poço do Céu, de fato muito especial. Promete muitos banhos em tempo de sol forte.
poço do céu01
poço do ceu 03 poço co ceu02
Mais adiante na trilha, margeando o leito do rio, chegamos ao Poço dos Dinossauros. Mais fechado que o anterior, possui um poço muito profundo.
trilha07 trilha08
poço dos dinossauros01
Guia Gustavo
O guia Gustavo pode ser contratado através de contato com a portaria do camping. Não faça estas trilhas desacompanhado dos guias locais. Experiências anteriores provocaram o fechamento das trilhas pelos órgãos ambientais.
Abaixo um pequeno filme com o ambiente das trilhas e cachoeiras destepasseio.
Deixamos a trilha e de carro fomos conhecer a Pedra Sonora que, segundo a lenda, diz:
“aquele que bater na Pedra, provocando a emissão do seu som característico, se livra de acontecimentos trágicos pelo resto da sua vida. O mesmo não se pode dizer daqueles que riscam e depredam a Pedra Sonora.”
Pedra Sonora
Com a hora do almoço na esquina, fomos conhecer o trutário local, conhecido como Trutas da Serrinha. Servido pelas águas dos rios Alambari e Pirapitinga, este trutário cria a truta conhecida como Rainbow (arco-iris). Com o cardápio decidido, escolhemos 3 unidades para nosso deleite mais tarde.
trutario01 trutario02
Conforme combinado, o Sr. Dinarte havia acendido a sauna as 10hs. Já por volta das 14hs, a temperatura estava mais que adequada para enfrentar a ducha de cachoeira e o poção do Rio Alambari.
sauna02
sauna01
Depois de um dia intenso, liberamos o companheiro Fredy para um passeio, enquanto a truta e a casquinha de truta estavam sendo elaboradas pela Gleidys. Vida dura essa. hem?
Fredy02
Fredy casquinha
truta pronta
As noites e o céu, num lugar como este são únicos. A falta de iluminação artificial, aumenta o contraste do céu e revela um mar de estrelas inesperado. Estamos melhorando nosso equipamento fotográfico, para também registrar estes momentos.
separador
Com a impressão de que deveriamos ficar mais alguns dias, retornamos a Teresópolis logo cedo, com a certeza de que logo estaremos por aqui para conhecer melhor este lugar e, por que não, ficar de papo pro ar neste lindo camping e lugar.
voltando
Para obter as coordenadas geográficas dos principais pontos da viagem, clique aqui para o download do arquivo.kmz (google earth)

fonte: http://www.turislogia.com.br/2013/11/serrinha-do-alambari-itatiaia-rj.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários Facebook

.